Somos, ao mesmo tempo, cidadãos de nações diferentes e de um mundo, no qual a dimensão local e global estão ligadas (Carta da Terra).

21
Fev 17

As máquinas de café em cápsulas são deveras convenientes, disso não há duvidas. 

Permitem escolher diversos blends (mais fortes, mais fracos, mais aromáticos), é muito fácil tirar um café e a sujidade é mínima.

Mas, o que está por detrás do café em cápsulas? Será que essa conveniência não trás um preço amargo à saúde e ambiente?

Segundo uma noticia do observador, o próprio inventor das cápsulas de café já se arrependeu de as ter inventado...isto devido à poluição gerada pelas mesmas.

Aqui estão alguns factos interessantes (ver aqui, aqui e aqui):

- Segundo a DecoProteste, se cada pessoa beber dois cafés por dia, em 350 dias, consome cerca de 700 cápsulas, o que pode chegar a 700 g de alumínio, 5,7 kg de plástico ou 4,2 kg de papel (isto imagino que varie com a marca de cápsulas utilizada);

700 cápsulas por pessoa/ano, multiplicando pelo número de utilizadores de cápsulas de café (o número é astronómico, mesmo).

- A maioria dos utilizadores não as coloca em ecopontos adequados (já existem em alguns supermercados, as próprias marcas por vezes recolhem as cápsulas), o que faz com que o alumínio e plástico que as compõem vá parar a aterro;

- Mesmo quando é reciclado, o alumínio produz alguns subprodutos tóxicos, que acabam num aterro (de resíduos industriais perigosos). 

- Apesar de se garantir que as cápsulas são feitas de plástico "seguro" livre de BPA, alguns estudos mostram que mesmo este tipo de material pode ter efeitos prejudiciais quando aquecido (por exemplo, podem actuar como estrogénio no corpo humano);

- Um estudo da Universidade de Barcelona indica que os níveis de furano (componente tóxico e possivelmente cancerígeno) são maiores neste tipo de café, quando comparado com o tradicional expresso ou café de cafeteira.

 

 

Soluções?

  • Quer a Nespresso como a Delta (passe a publicidade) desenvolveram sistemas de aproveitamento das cápsulas, mas vejamos, quantos de nós separam as cápsulas e as entregam para reciclagem? 
  • Uma forma de as acumular em casa, será coloca-las num garrafão (eu faço uma espécie de "porta" no garrafão, quando está cheio encaminho para uma loja Delta)
  • Nas lojas Pingo Doce (passo a publicidade) já existem ecopontos para cápsulas de café (e rolhas, tampas,...)
  • Existem cápsulas reutilizáveis, no entanto não sei até que ponto aquele plástico será inócuo...
  • Existem também máquinas de café com moinho incorporado, são mais práticas do que as de manípulo (menos sujidade, por exemplo), no entanto o preço ainda não é nada convidativo;
  • Voltar a usar café feito "à moda antiga" pode ser uma solução...

 

 

 

 

 

publicado por Maria às 12:30

2 comentários:
Ainda bem que não gosto de café em cápsulas. Neste aspecto estou isento de culpas.
Robinson Kanes a 21 de Fevereiro de 2017 às 14:45

Já eu não posso dizer o mesmo, mas quero melhorar nesse aspecto...
Maria a 22 de Fevereiro de 2017 às 11:03

Fevereiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
22
23
24
25

26
27
28


arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
Reduzir, reutilizar